domingo, 22 de março de 2009

APERFEIÇOAMENTO TÉCNICO

Ultimamente tenho andado sem inspiração para desenhar, explico: Existem os desenhistas por natureza, os que desenham por necessidade e os por não ter nenhum outro talento (que normalmente também não tem talento para desenhar), well, o que tem me incomodado não são as inspirações, mas sim o desenvolvimento técnico dessas pessoas (e eu me incluo nelas). Impressionante, mas sinto uma necessidade enorme de aprimorar minha técnica e tenho me visto demais rabiscando o que se pode chamar de “bonequinhos”. Isso não é o bastante. Nada contra os que estilizam, “caricaturizam” a realidade, mas a pergunta que sempre vem à cabeça ao ver alguma ilustração extremamente ilustrada, se é que alguém entende isso, é se a pessoa por trás daquele desenho deformado sabe mesmo o que é desenhar, se tem noção de proporção, perspectiva, se sabe o que é luz e como se forma a imagem ou se apenas aprendeu a sujar um papel e se conformou. Isso é besteira, eu sei, talvez até paranóia, mas me ocorre e faz pensar que o mundo não é (mesmo) feito de “bonequinhos”... Que pena, assim tudo seria tão mais fácil (e divertido), hehe...

“Procurar a perfeição é uma obsessão sem volta. Descobrir a proporção é uma beleza sem nexo que faz o artista acreditar no fator divino da forma”.

TRATADO DE PROPORÇÃO:
Um palmo é a largura de quatro dedos; Um pé é a largura de quatro palmos; Um antebraço é a largura de seis palmos; A altura de um homem são quatro antebraços ou vinte e quatro palmos; Um passo são quatro antebraços; A longitude dos braços estendidos de um homem é igual à altura dele; A distância do nascimento do cabelo e o queixo são um décimo da altura de um homem; A distância do topo da cabeça para o fundo do queixo é um oitavo da altura de um homem; A distância do nascimento do cabelo para o topo do peito é um sétimo da altura de um homem; A distância do topo da cabeça para os mamilos é um quarto da altura de um homem; A largura máxima dos ombros é um quarto da altura de um homem; A distância do cotovelo para o fim da mão á um quinto da altura de um homem; A distância do cotovelo para a axila é um oitavo da altura de um homem; A longitude da mão é um décimo da altura de um homem; A distância do fundo do queixo para o nariz é um terço da longitude da face; A distância do nascimento do cabelo para as sobrancelhas é um terço da longitude da face; e A altura da orelha é um terço da longitude da face.

Essa pode até ser a minha Mona Lisa, ha, que piada, vai saber. Desenho inacabado, lá de 2006, uma necessidade de reproduzir os olhos com perfeição me fez desistir. Os próprios olhos, testa e algumas outras partes ficaram sem resolução. (Reparem no sorrisinho dela de quem pensa: - Que sujeitinho sem aprumo! Uma fanfarrona!)

Outro desenho que gosto muito e que nunca pensei que gostaria é esse aí embaixo, especialmente pelo cavalo. Desenhar um cavalo é bem divertido, tipo, quando ele fica bem feito. Já tinha ouvido isso antes e pensava: - Mas que droga, qual é a graça em desenhar um cavalo?! Esse eu termino um dia, um dia, quem sabe... (Que sacrilégio. Um dragão chinês sendo atravessado por uma lança, ainda pago por isso, eu sei.)

01 (Estudos)
02 (Desenho)
03 (Composição)
(Sem piadas hoje...)