domingo, 18 de janeiro de 2009

A LITTLE BIT CHARLIE BROWN!

Deixando o papo furado um pouco de lado e sendo mais direto, vamos ao que não interessa! Essa a seguir é minha primeira série de tiras, bem, é também a única, diga-se de passagem, tomando como base minha velocidade de produção de tartaruga hehe, mas me orgulha muito. É um tema clássico, universal... Tá bom... Tá bom... É manjado que dá dó: Um cara se consultando com o psicólogo. Um psicólogo por sinal bem peculiar: Mercenário, distraído e inconseqüente. O consultado, um Charlie Brown engravatado. E é essa mesma a intenção e inspiração para ele. Sempre fiquei imaginando como seria o garoto de Charles Schulz mais velho. Talvez fosse assim. Talvez fosse mais bem desenhado... Talvez mais rico e engraçado. Tipo, engraçado para quem lê porque pimenta no fiototó dos outros sempre é refresco... E não venham dizer o contrário! Só tenho um problema: Não consegui criar nomes para nada. Para a tira, os personagens, nada. Alguma sugestão?

01


02
03

Já que comentei sobre “produzir como uma tartaruga” aqui está a prova da dita cuja:


E um Peanuts que sintetiza bem o que é ser Charlie Brown! (By Schulz)


Obrigado pela ajuda Mayra!

sábado, 10 de janeiro de 2009

ESPÍRITO DE PORCO

À falta de esperança. À falta de fidelidade. À falta de respeito e o excesso de rivalidade.
Tudo isso é atribuído ao Espírito de Porco.
Um roto sentimento de insegurança. Uma lembrança amarga da infância que lhe diminui.
À total falta de boa-vontade. D'um voto de confiança. A todos esses sussurra ao ouvido um imenso e rouco Espírito de Porco.
À maldade pequena que envenena aos pouco uma amizade. O alarde por pouco ou quase nada.
À amizade excessiva, até, que continua a falar para não se calar. E acaba dizendo besteira.
Sinceras são as desculpas, mas a ausência compensa. Volta ao avesso porque nas pernas ainda te pega o Espírito de Porco.
Encontros que não vingam. Dias que não findam na cama deitado e inconsolado. A decepção. A mão no rosto. O suspiro de indignação.
E um grunhido-sorriso-ronco debaixo da cama.

Aos que te tratam mal. Aos que insiste em correr atrás. Aos que não te dão nem darão carinho. E a sua total falta de amor próprio.
A propósito, atribui-se culpa ao Espírito de Porco.
As noites sem dormir. Aos dias sem acordar. Aos anseios e as decepções.

Porco é um pouco demais para coisas tão pequenas. Espero que isso não pareça lição e que passe mais por brincadeira.
Ligeira é a galinha que pode correr. Mas mesmo assim não muito esperta. Pois se atribuísse mérito não salgava na panela.
Perdido é o porco que não corre, não canta e nem conta até três.
Bobagem faz parte da boca. Brincadeira faz parte da barriga. Hoje na janta tem carne de porco. Mas o Espírito espreita no vão da caldeira.
(A boca cheia de água pelo cheiro) Pois é tonto e comeria o que as próprias entranhas recheia.


Não era bem isso que eu queria dizer, mas tudo bem. Ta difícil fazer alguém comentar nessa birosca! Agora assim, do jeito que está, fica pior ainda. Vou começar a escrever em miguxez. Daí fica da hora!

PIADAS DE PORCO SORTIDAS

01 - Loira:
Uma loira aparece com um porco no colo. Um senhor passa por eles e pergunta: - Aonde você ganhou isso?
O porco responde: - Ganhei numa aposta!

02 - Português:
Manuel não parava de peidar. Peidava a cada 30 segundos.
Maria, sua esposa, já aborrecida fala pra Manuel:
- Ô Manuel, tu és um tremendo de um peidão. Não tem vergonha do que tu fazes?
- Eu? Eu peido, e peido mesmo! Quando bem entender e der vontade. Olha lá vem outro... Fuuunnnnnnnnnn!
Maria já não agüentando mais a situação decide então inventar uma mentira para Manuel:
- Olha Manuel, eu já ouvi casos de que, quem peida demais, as tripas saem pelo cu! Tome cuidado!
- Que nada Maria.
No outro dia enquanto Manuel dormia, Maria vai ao mercado comprar tripas de porco e coloca na barriga de Manuel enquanto ele dorme.
Manuel acorda gritando:
- MARIA! MARIA! MARIA! VOCÊ NUM VAI ACREDITAR... BEM QUE VOCÊ DISSE. DE TANTO EU PEIDAR AS TRIPAS SAÍRAM TODAS PELO MEU CU...
- Ta vendo Manuel, eu te disse! Olha aí como você sofreu...
- Bem Maria, pras tripas saírem sabe que até nem doeu. Mais colocar tudo de volta deu um trabalho danado!

03 - Caipira:
O fiscal vai até uma fazenda, onde existe uma criação de porcos, lá pergunta ao dono:
- Com o que o senhor alimenta os animais?
- Dou resto de comida, diz o fazendeiro capiau.
- Isso não está certo, diz o fiscal. - Vou aplicar-lhe uma multa de 10 mil reais por não alimentar corretamente os porcos.
Passado um mês o fiscal retorna a fazenda e faz a mesma pergunta, o fazendeiro caipira responde:
- Bem, agora estou dando farelo de milho.
- Não, não. Isso não está correto, responde o fiscal. - O senhor vai ser multado em 50 mil reais.
Três meses depois o fiscal retorna e nota que na fazenda existem apenas alguns porcos, ele, desconfiado pergunta ao dono:
- O senhor diminuiu sua criação?
- Eu não, diz o matuto.
- Então onde os porcos estão?
- Ha, eles estão por ai, e esses aqui já voltaram do almoço!
- Os porcos comem o que agora? Pergunta o fiscal.
- Sei lá! Todas as vezes que o senhor aparece na minha fazenda sou multado. Agora dou 10 reais todos os dias para cada um comer o que quiser.

OBS.: Não vou dar o crédito das piadas porque deu um trabalhão reeditar elas.

Receitas para porco, por favor, assinalem aqui embaixo.